O islão das Luzes

, par  MIQUEL André

« O que eu quis mostrar, diz André Miquel, é a abertura de um Islão demasiado esquecido hoje. »

Mais longe, continua: «sempre tive uma estima particular para com Ma’Mûn, esse filho do célebre Haroun al-Rachid. No século IX, quando o Ocidente cristão saía dificilmente de uma época conturbada, esse califa de Bagdá encoraja a tradução em árabe das obras gregas, funde um instituto das ciências e convida os seus irmãos a discutir das relações entre religião e razão, um debate que permanece actual ainda hoje. Quis portanto fazê-lo viver de novo, retomando um généro muito honrado na literatura árabe clássica: os maqamat, entrevistas em volta de um assunto ou sem programas pré-estabelecido. »

[a(http://www.lepoint.fr/culture/connaitre-son-heritage-arabe-n-empeche-pas-d-etre-francais-14-12-2012-1581438_3.php) www.lepoint.fr/culture/connaitre-son-heritage-arabe-n-empeche-pas-d-etre-francais-14-12-2012-1581438_3.php]

Navigation

Journal des Alternatives, une plateforme altermondialiste

Siga Intercoll.net

Redes sociais - RSS