Apresentação Intercoll

Intercoll é um espaço aberto de desenvolvimento e troca de ideias entre movimentos sociais e cidadãos. Visa contribuir para o surgimento gradual de um novo "intelectual coletivo internacional", através do desenvolvimento intelectual dos movimentos sociais e das redes de pesquisa e educação popular a elas ligadas. Intercoll tem a ambição de criar um espaço internacional e multicultural. O site irá operar em seis idiomas: inglês, árabe, espanhol, francês, português e mandarim. Cada artigo será precedido de um resumo de dez linhas em diferentes idiomas, permitindo a todos a utilização de ferramentas de tradução automática. Sete medidas serão implementadas:

  • Grupos de trabalho sobre temas propostos e selecionados.
  • Sites parceiros de varias regiões e sobre varios temas.
  • Um "mural" de questões que se fazem ou que deveriam ser feitas pelos movimentos sociais.
  • Mobilizações e ações cidadãs propostas por nossos parceiros.
  • Uma pesquisa permanente sobre a estratégia dos movimentos sociais.
  • Textos lidos em outros lugares e selecionados com base em seu interesse.
  • Eventos, seminários, conferências

Para entrar em contato conosco

Últimas publicações

Lido em outro lugar

  • Imaginação estratégica e partido

    , por Josep Maria Antentas, Viento Sur

    A partir da experiência de Podemos e da retomada do debate estratégico após várias experiências políticas e sociais, Josep Maria Antentas dá algumas pistas estratégicas sobre o papel dos partidos políticos, suas relações com os movimentos sociais, os problemas de tempo e espaço colocados à política, a democracia ou o entrelaçamento da vida, a realidade cotidiana e o ativismo.

  • América do Sul: O fim de um ciclo ?

    , por Autres Brésils, Glauber Sezerino, Ritimo

    Findadas as ditaduras e regimes autoritários que marcaram profundamente os anos entre 1960 e 1980, muitos países da América do Sul experimentaram um processo de democratização baseado em políticas muitas vezes descritas como de direita.

    Esse modelo econômico-político perdeu força no final da década de 1990. O subcontinente vê então a chegada ao poder de novas elites políticas, oriundas principalmente dos movimentos sociais nascidos no período anterior.

    No entanto, a partir de 2010, em um contexto de retração da economia global, esses projetos parecem ameaçados por seus limites internos. Nesse contexto, tal "ciclo da esquerda" parece estar chegando ao fim - ou pelo menos face a um bloqueio - com o avanço das alas direitas dentro desses governos de esquerda.

    Neste dossiê, tentaremos analisar a dinâmica específica desse processo em andamento no subcontinente.

  • Em defesa da Venezuela

    , por DE SOUSA SANTOS Boaventura

    A Venezuela vive um dos momentos mais críticos da sua história. Acompanho crítica e solidariamente a revolução bolivariana desde o início. As conquistas sociais das últimas duas décadas são indiscutíveis. Para o provar basta consultar o relatório da ONU de 2016 sobre a evolução do índice de (...)

Siga Intercoll.net

Redes sociais - RSS